segunda-feira, 27 de abril de 2009

Amores perfeitos

Folheei meigamente o meu amigo, ainda convalescente da briga e vou entrar noutra alhada,
Desta vez ou tudo ou nada. Não quero intriga !
Ao conceito de amor coloca ele à cabeça "sentimento de afeição de um sexo pelo outro".
Seguido por "afeição profunda ditada pelas leis da natureza" e ainda "sentimento vivo, intenso, de gosto por", entre outros de somenos e mais tontos de certeza.
Dar primazia ao sexo, nem de longe nem de perto, é assunto complexo e não me parece certo.
Sem grandes discussões, fechei logo o livrinho e vou seguir um caminho que lhe tire as ilusões.
Amor, com atributo de perfeito, sempre vai precisar de três cantos partilhar: espírito/intelecto, tolerância/aceitação e outros afectos.
E, nesta cumplicidade, será o amor coisa de jeito, quase felicidade, perfeito !
Já estou a ouvir: a tua cela tem quatro cantos... e o outro ?
Pois, esse o canto da intimidade, onde, passado o teste anterior e disso for o caso, tem nexo falar de sexo, esse movimento em que dois seres poderão ser um só quando, a poderosa força do efémero orgasmo em simultâneo, implica entrega incondicional, e quem é, por um momento, deixa de ser.
O canto é terrivel, pois aí, ter segredos ? Impossivel !
Assim é o amor perfeitíssimo !!! Não existe ? Talvez....ai de mim.

2 comentários:

Baila sem peso disse...

Pois, meu querido amigo
Amor perfeito, existe
E hoje um deles me assiste!

O Ser Mãe é algo perfeito
que a tudo e nada está presente
e não fora outros amores
que também tenho como afectos
e são eles bem concretos
ESTEpelo perfeito, subsiste!

Está guardado em cela aberta
Corre sempre de flor certa!

Ah, mas existem outros sim
que também são dos que eu digo
ai de mim...

se são perfeitos?...huummm
diria: assim assim ;)

Beijinhos

Carmem disse...

Amor perfeito...Amor incondicional... Amor...Amor!...

Ele existe!

Beijo!

Boa semana!