quinta-feira, 5 de março de 2009

Fazer amor


Outro pescado do meu baú (23-09-2006)
Porque ainda assim penso
Porque de amor se trata...

Vamos fazer amor...

Coisa vulgar de ouvir, no recato de qualquer conversa intima, no autocarro, em bares, cafés e discotecas ou na invasão sistemática com que o pequeno ecrã castiga a nossa casa.
E, aprofundando a pesquisa, mesmo sem recurso ao filme porno, podemos citar algumas frases tais como:
Fiz amor:
no chão da cozinha
na banheira
no tapete
em cima da mesa
com o gato a ver
Entre uma infinidade de outras, e, até por vezes, na cama.
A moral que tiro da história:
O amor fabrica-se, sendo apenas necessário alguma imaginação e a presença mínima de dois artífices, quiçá bastando um se de génio se tratar.
Ora isto causa-me grande confusão.
Havia arrumado na minha gaveta dos conceitos, quase conclusivos, a aceitação de que o amor e o sexo pouco tem a ver um com outro.
E se, por casualidade, amarmos verdadeiramente alguém com quem temos sexo, isso terá de ressaltar da relação no período que decorra entre dois orgasmos não seguidos.
E aqui lhes digo, se o resultado é positivo, então sim é a excepção em que o amor e sexo se aliam.
Não se faz amor, deixamos fluir o amor, somos dois em um.
Na verdade teremos de aceitar que o sexo é servidão imposta pela mãe natureza que astuciosamente criou esse impulso em todos os animais (com o estimulo do prazer) como garante da renovação.
Maldosamente vamos dando a volta e usamos os contraceptivos.
Como não queremos prescindir do prazer e simultaneamente evitar a vileza, mascaramos então o acto, praticando-o abusivamente, muitas vezes, em nome do amor.
Amor é outra coisa.
O amor é dádiva.
Nasce nos lagos profundos da nossa alma e curiosamente não se fabrica.
Ou se tem, ou se é pobre!
Não quero confundir amor com sexo.
Vou manter os meus conceitos até porque também amo algumas árvores e não me vejo a fornicar qualquer delas.
E que isto não seja preconceito !

4 comentários:

Baila sem peso disse...

e sem preconceito algum de maior
eu gostei deste "fazer amor"!

amor e sexo têm diferente conceito
mas,
na Natureza, eles são duo perfeito!

Porque se entendem...
a existência, sem se confundir...

as "gentes"...são diferentes...
a confusão dá a mão...

"...Nasce dos lagos profundos da nossa alma..." Muito bonito!

Beijinhos

Carmem disse...

Amar não se pode explicar...fazer amor se explica em tuas palavras...
Muito bonito e ............ sem preconceitos!

Bjo

*Lisa_B* disse...

Pois é...
Eu acho que nasci um séc depois do que devia.
Queria ser do Séc. passado onde podia não ter
à mão o conforto de agora mas onde havia mais dignidade pelas palavras, actos, nome, valores, tudo o que agora não tem mais peso nem importância, onde se usam as pessoas umas às outras e se dizem apenas amigos coloridos e outros que nem a isso chegam.
Eu não sou desta Era ou deste Mundo.Sinto-me delocada...perdiada...
Beijinhos com carinho e gotinhas

Multiolhares disse...

Como dizes o amor é dádiva pura,
não deve ser pintado com cores indecifraveis
bom fim de semana